Iso 9001

Informativos

A grande evolução da segurança industrial

O Brasil está entre os países que mais têm custos com crimes e violências. Desde 2006, o país configura entre os 25% piores colocados no ranking mundial de custos com violência, dentre uma análise de 138 nações. E se tem um setor que, como vários outros, sofre significativamente com violência e criminalidade, é o setor industrial.

 

Segundo registros policiais, 30% dos casos de roubos nas indústrias foram em momentos em que os caixas eletrônicos e a circulação de dinheiro apareciam de forma mais “clara” aos ladrões, sem tanta preocupação em observações externas e localizados em pontos de fácil acesso pelos criminosos.

 

Dentre os pontos de maior risco, configuram desde a presença de caixas eletrônicos a vista em locais de acesso, até a entrada e saída intensa de veículos com má monitoração. Além de, também, a carga e o carro forte que, se mal administrados, podem gerar situações de perigo. Só em 2014 e 2015, foi constatado um aumento de 64% no número de ocorrências de roubo e furto de carga, passando de 12.717 para 20.803.

 

Atualmente, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a indústria nacional investe cerca de R$130 bilhões ao ano com segurança privada. Isso mostra a evolução da segurança nesse setor e a certeza de que este é um bom investimento. Entre as atividades oferecidas à indústrias, estão a composição de um projeto de segurança baseada em uma análise de riscos minuciosa, uma equipe eficiente e treinada de forma personalizada, além de soluções tecnológicas aplicadas em parceria com a atividade humana no serviço. A Embrasil oferece este tratamento de modo a garantir que a criminalidade no local tenha redução significativa e eficiente em curto prazo.

 

Ainda, na proteção interna, é oferecido o uso do controle de acesso e monitoramento de sistemas para visualização e gravação à distância, que podem ser acessados a qualquer momento desejado. O sistema ainda dá aviso de anormalidade à todos os clientes no momento em que for detectado o problema.

 

Atualmente, ainda que os gastos com segurança sejam grandes – 4,2% do faturamento anual das empresas brasileiras –, torna-se mais do que necessário decidir por este investimento. As perdas que a indústria pode ter sem o patrulhamento e serviço da segurança patrimonial tem potencial para serem muito maiores que o valor investido na segurança.